Educação

O nível educacional do Brasil caiu muito, durante os 15 anos de desgoverno petista. Em nível municipal, não foi diferente. Levando em conta os últimos prefeitos que tivemos, com 100% de mentalidade esquerdista, a cidade perdeu muito “terreno” nessa seara.

Dito isso, o que pode ser feito?

A primeira atitude é cobrar recursos, via prefeito (poder executivo), do governo estadual, principalmente para escolas estaduais que estão nas cidades, para quadro de pessoal e manutenção das mesmas.

As escolas municipais precisam também de recursos, evidentemente e claro sem deixar de lado dois assuntos que nunca foram discutidos na cidade. Um deles é o transporte bancado pelos contribuintes, algo que nunca tivemos aqui em Santo André. O outro é o egresso exclusivo de andreenses nas escolas municipais, deixando alunos de outras localidades que consigam vagas em seus respectivos municípios.

Isso vai desinchar as escolas, melhorando o ensino e as condições para os professores (as).

Um outro ponto muito importante e que precisa ser discutido em âmbito municipal é o seguinte: na escola, a única obrigação dos professores deve ser o de ensinar matérias e transmitir conhecimento. O método Paulo Freire se mostrou um fracasso. A educação, no amago da palavra, deve ser obrigação dos pais. O Estado, e muito menos o município, não podem ter essa responsabilidade.

Quero deixar bem claro que escola não é depósito de crianças.

#CelsoPolido2024